Fechar
DicasProdutos Naturais

Óleo de coco nos cabelos? Tudo o que precisamos saber sobre ele

algumas coisas importantes

Eu sei que vocês já devem estar cansadas de ouvir falar do óleo de coco, mas, ao mesmo tempo, sempre surgem algumas questões quando pensamos em inseri-lo na nossa rotina de cuidados com o cabelo. São várias as dúvidas que a gente pode ter como: O óleo de coco é realmente eficaz? Se ele é eficaz, qual é o segredo do seu sucessso? Como devo escolher o meu óleo de coco? Quais as formas mais eficazes de usar o óleo de coco no cabelo?

É normal a gente ter esse tipo de dúvida, afinal, um pote de óleo de coco nem é tão barato assim, pelo menos não no primeiro momento, quando não sabemos se vale a pena ou não compra-lo.

A primeira vez que eu comprei óleo de coco, há uns 4 anos atrás, não rolou amor. Porém nesses últimos tempos comprei um pote novamente e o redescobri. Mas antes de comprar um pote de óleo de coco, eu resolvi pesquisar mais a fundo, descobrir se existe mesmo um diferencial nesse óleo, afinal, eu já testei centenas de produtos para cabelos, conto com uma grande quantidade de produtos em casa e ultimamente tenho pensado bastante antes de comprar qualquer coisa. Mas não vou me estender nesse assunto do consumismo, porque agora é a hora de falar do óleo de coco. Vamos nessa?

O que tem no óleo de coco para ser amplamente recomendado como ele é?

 O óleo de coco (coco nucifera oil) é composto de vários ácidos: Ácido caproico, ácido caprílico, ácido cáprico, ácido láurico, ácido mirístico, ácido palmítico, ácido esteárico, ácido oléico, ácido linoléico.

Dentre todos esses ácidos, o que mais se destaca para o uso no cabelo é o ácido láurico. O mais interessante é que esse é o ácido em maior quantidade no óleo de coco!!

As duas principais funções do ácido láurico para o nosso cabelo são as seguintes:

Ele é Antibactericida e antifúngico: Combate possíveis bactérias que estejam prejudicando o trabalho dos folículos pilosos. Por causa dessas funções o óleo de coco também pode ser usado em cabelos oleosos, em pessoas com caspas ou até mesmo para tratar doenças no couro cabeludo, como a psoríase.

Tem alta afinidade com o cabelo: O ácido láurico é apontado como o responsável pela afinidade que o óleo de coco tem com a fibra capilar. Estudos mostram que ele é capaz de penetrar no córtex capilar ajudando assim na proteção da matéria do cabelo.

Aqui leia-se: vai se jogar em alguma química e quer fazer um pré tratamento? Taca o óleo de coco nos fios!

E os demais óleos graxos do óleo de coco, qual a função deles?

Protegem as cutículas: Melhoram a penteabilidade do cabelo, protegendo assim as cutículas dos danos mecânicos causados na hora de pentear os fios.

Retém a umidade: Formam uma capa que sela a umidade dentro dos fios evitando a desidratação do cabelo.

A função antioxidande do óleo de Coco em nossos cabelos

Além dos ácidos, o óleo de coco também é rico em Vitamina E, que é antioxidante. É por isso que, quando aplicado no couro cabeludo, o óleo de coco ajuda na manutenção da saúde dos folículos pilosos.

O poder antioxidante da Vitamina E ajuda na prevenção dos cabelos brancos já que a oxidação é um dos principais fatores para a morte das células que produzem a melanina dos fios.

Os antioxidantes também combatem a queda capilar (aquele fio que caí inteiro, com a pontinha branca) já que a oxidação tem um papel importante para a perda de produtividade dos folículos pilosos, o que pode adiantar a queda do cabelo e até atrasar o nascimento de um novo fio e isso ninguém merece, não é?

Ah, e para fechar com chave de ouro as funcionalidades do óleo de coco, o pH dele gira em torno de 3,3 , e tudo o que o que tem um pH ácido acaba fazendo bem para os fios, pois ajuda no selamento das cutículas dos cabelos. #muitoamor

Aqui nesse ponto, a gente já descobriu porque o dito cujo do óleo de coco é bom, mas eu queria acrescentar também que, se você já usou esse óleo e não caiu bem no seu cabelo ( já li relatos de várias pessoas que odiaram), tente usá-lo no couro cabeludo para ter os benefícios que a gente não pode ver a curto prazo nem ao toque. Nós corremos tanto atrás de shampoo bomba, shampoo anticaspa, tônicos e afins que muitas vezes deixamos de lado um produto de uso simples, porém eficaz.

E digo mais : Só pelo fato do óleo de coco não conter parabenos, corantes, estabilizadores de fórmula e etc, o seu couro cabeludo vai amar!

Escolhendo o nosso óleo de coco

PRENSANDO A FRIO

Gente, aqui não tem segredo. Você deve optar sempre pelo óleo de coco virgem ( ou extravirgem), 100% puro, prensado a frio. Não se preocupe se você foi comprar em um lugar e o óleo estava sólido e no outro o óleo estava líquido. Isso é normal, pois o óleo de coco se solidifica em temperaturas abaixo de 25°C.  O meu potinho mesmo já passou da fase líquida para a sólido (e vice-versa) várias vezes e isso não altera em nada as propriedades do óleo de coco.

Prefira o que vem em um pote de vidro, não precisa ser um pote escuro, pois o óleo de coco é estável e não perde as suas propriedades em contato com a luz. Mas nada de por ele no sol, heim!

Nossa, eu tenho muito mais coisas para falar sobre esse óleo, mas vou parar por aqui. Mas na próxima semana farei um post sobre “As melhores receitas caseiras para cabelos que podemos fazer com o óleo de coco”. Quem vai vir para conferir?

Se você não quer perder, assine a nossa newsletter (clicando aqui) e receba uma notificação em seu e-mail sempre que um novo post do Help dos Cabelos for ao ar. Me segue lá no Instagram e na fan Page do Facebook que eu sempre aviso sobre novos posts por lá também.

Nos vemos em breve 😉

Tags Dicas do HelpÓleo de coco

10 Comentários

  1. Como usuária de químicas, cuido do meu cabelos há anooos. Fazia cronograma com muita dedicação e antigamente quando tentei umectações não curti muito o resultado. Daí fiz progressiva, ouvi a balela que progressiva trata e dei uma relaxada também, a correria do trabalho me fez focar menos nos cuidados. Não deixei de tratar, mas fazia tudo no chuveiro somente. Nada de lavar e enluvar uma máscara com cuidado e dar uma pausa maior, ou cuidar bem que etapa do crono eu precisava. Pegava os cremes aleatoriamente. Resultado= quebras, queda, e pontas finas. Como meu tempo melhorou, voltei a cuidar como antes, só que agora com coisas mais naturais e menos produtos, enxuguei e simplifiquei o cronograma(tempos de crises e ainda meio corridos requerem economia e praticidade ). Retornei a fazer algo que me divertia e tanto me dava prazer que é cuidar dos cabelitchos.
    Tudo isso pra dizer que agora o óleo de coco me encantou. Tem MELHORADO minha oleosidade(aplico no couro massageando bem), reduzido irritações e descamações e nutrido muito!! Estou amando. Fora que fica mais fácil de alisar o cabelo com escova.
    Sugiro, Diana, um post sobre cuidados com cabelos progressivados. Uma atualização na verdade, já que você sempre abordou muito sobre isso. Sobre melhores shampoo, cuidados…etc. Um beijão!

    1. Oi, Carol.

      Em alguns aspectos, me vejo em seu comentário, pois também estou usando várias coisas naturais e amando. O óleo de coco mesmo é perfeito contra a minha descamação, coisa que nenhum detox atingiu com perfeição.
      Pode deixar que farei um post sobre os cuidados com a progressiva o mais breve possível, é muito válido. Bjos!

  2. Oi Di,
    Quando tentei usar óleos,de rícino, de côco(da Copra)pesou demais no meu cabelo,aliás,de maneira geral,umectação não estava fazendo bem daí resolvi usar óleo só como pré shampoo e o resultado é bem melhor.O problema é que a maioria dos óleos vegetais puros são muito densos e mesmo usando pouco é fácil errar na dose.E meu último queridinho não é exatamente “puro”,chama-se Olive Miracle e promete ajudar no crescimento do cabelo.É uma combinação de óleos e extratos,só que tem um parabeno no fim da fórmula,mas é bem fluído,daí dá pra massagear o couro cabeludo sem problemas e pausar antes de lavar e fica tudo de bom.Aliás,com a idade,meu cabelo perdeu um bocado de volume e tem caído muito e tenho que fugir de coisas que o deixam pesado e lambido.

    1. Oi, Eliana.

      Sim, eu também sentia algo parecido assim que comecei a fazer umectação, por isso tinha deixado de lado. Realmente os óleos costumam ser muito densos e não dá pra todos se adaptarem. Vou pesquisar alguma coisa para melhorar isso sem ter que usar algo industrializado, se conseguir algo que funcione posto por aqui. Bjos!

  3. Oi Diana! 🙂
    Que bom que voltou \o/
    Menina vou te contar uma coisa, não sei oque acontece com meus cabelos, mas eles
    simplesmente não gostam de óleo de coco 🙁
    Faz efeito rebote sabe?! Fica um ‘fuá” rsrsrs

  4. Amei a sua volta Diana..estava com saudades dos seus posts..Emfim estou me adaptando ao oleo de coco..no inicio não gostava mas hj amo e vejo efeito.. atualmente uso misturado com oleo de ricino e tenho gostado.bjsss

  5. Di!!! Eu já tinha visto os vídeos de óleo de coco da Renata Meins, em que ela diz como o óleo ajudou-a a alisar o cabelo. Ela até explica porque ele alisa ,mas não fiquei convencida e decidi não investir em algo que não var dar nenhum resultado no meu cabelo. Mas agora, com a sua explicação da fórmula, eu entedi que o óleo é muito mais do que eu tinha entendido. Vale super a pena! Inclusive resolveu meu problema: estava bolando um tônico capilar caseiro com vit A e E para ajudar no crescimento e resistência, porque ambos estão ruins no meu cabelo e esse óleo resolve os dois, e nem preciso me preocupar em dar efeito reverso! Só me resta uma dúvida: será que ele é melhor q o azeite extra virgem?

Comenta, cabelete ;)